Home > Arquivo > Levantamentos oficiais amenizam impacto da seca na produção de grãos

Arquivo

Arquivo

Levantamentos oficiais amenizam impacto da seca na produção de grãos

Colheita frustrante no Rio Grande do Sul reduz oferta nacional de trigo.

O levantamento de safra adotado como principal referência da produção brasileira de grãos em todo o mundo, elaborado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), amenizou os efeitos da seca e revisou para cima a produção de soja de todas as regiões do país. As perdas registradas no Sul foram menores do que o estimado um mês atrás e o aumento na colheita surpreendeu em estados como Mato Grosso, Tocantins, Piauí, Maranhão e Minas Gerais.

O 8º levantamento, divulgado nesta quinta-feira (10) pela manhã, prevê que a produção de grãos da safra 2011/12, atingirá 160,06 milhões de toneladas. Volume é 1,7% inferior ao recorde atingido em 2010/11, de 162,80 milhões de toneladas. Um mês atrás, o recuo previsto era de 2,2%.

Os números da soja foram responsáveis por boa parte dessa mudança nas estimativas. A safra, que no levantamento de abril era calculada em 65,6 milhões de toneladas, agora teria potencial para 66,68 milhões de toneladas. O índice de quebra caiu de 12,9% para 11,5% em um mês. A colheita está na reta final, mas ainda haverá quatro revisões nos números, até o início da safra 2012/13.
Paraná

A safra de grãos do Paraná será de 29,06 milhões de toneladas e não de 27,92 milhões de toneladas, conforme os novos números. Ainda assim, a diferença é de 10,4% (3,39 milhões de toneladas) em relação aos 32,45 milhões de toneladas de 2010/12, devido às estiagens. Em vez de 9,93 milhões, a soja deve render 10,80 milhões de toneladas, com redução no índice de quebra de 35,6% para 30,0%.
Milho

O milho de verão – que também sofreu com a seca no Sul mas teve expansão de área no Centro-Norte – vai render 0,6% a menos. Mês passado, o índice era o mesmo, mas positivo (indicando aumento). A colheita foi dimensionada pela Conab em 35,73 milhões de toneladas.

O que surpreende é a previsão de aumento de 40,5% na produção da segunda safra – a “safrinha” – que deve atingir 30,18 milhões de toneladas. As expansão prevista um mês atrás era de 35,1%.

Revisões

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também acaba de divulgar suas estimativas referentes às pesquisas sobre a safra 2011/12 realizadas no último mês. E segue a mesma avaliação da Conab, com leve reajuste nos números.

A produção brasileira de 2012 deve ser de 159,3 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas, segundo o IBGE. A projeção indica uma queda de 0,5% em relação ao ano passado (160,1 milhões de toneladas) e um aumento também de 0,5% sobre a pesquisa divulgada um mês atrás.


      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU